• Jorge Antonio

VIVENDO E CONVIVENDO EM CONDOMÍNIO



Morar em condomínio requer algumas orientações importantes. Assim como em uma democracia, os moradores elegerão um representante para conduzir a vida do condomínio e deverão aprender a conviver com pessoas e opiniões distintas.


O morador de condomínio não pode tomar certas decisões por conta própria, como por exemplo, alterar a fachada da sua sacada ou pendurar roupas na janela. A convenção e o regimento interno esclarecem dúvidas sobre as regras que regem o condomínio.


Em um condomínio, os assuntos mais importantes são resolvidos em assembleia e suas decisões são resguardadas pela vontade da maioria dos proprietários das unidades.


Manual do condomínio

A pessoa responsável pelo pleno funcionamento de todas as áreas do condomínio é o Síndico. Ele responde inclusive civil e criminalmente por tudo que acontece em seu mandato, bem como na conservação e manutenção dos acessórios como elevadores, motores, caixas d’água, etc.


O sindico é eleito através de uma Assembleia Geral Ordinária Anual e deve ser assessorado tanto por uma administradora de condomínios (que é contratada pelo sindico ou em assembleia), quanto por um Conselho Fiscal, também eleito pelos condôminos.


As assembleias servem para que os moradores exponham suas opiniões sobre diversos assuntos relacionados ao condomínio, dentre eles as propostas de melhoria feitas pelo síndico.


Deve-se também, junto a uma administradora, realizar uma previsão orçamentária para o próximo período anual. Assim, é estabelecida a taxa de condomínio, cujo montante é rateado entre todos os condôminos e será paga mensalmente com valores fixos.

Juntamente a taxa condominial, deve ser arrecadado um valor estipulado pelos moradores para um fundo de reserva ou fundo de caixa. Esse valor acumulado, será utilizado para realizar o pagamento de despesas extraordinária e sua contribuição também será mensal.


Os gastos necessários ou voluptuários não previstos na previsão orçamentaria devem ser autorizados pelo Conselho Fiscal e submetidos à apreciação dos condôminos em assembleia. Ja os gastos urgentes, poderão ser realizados pelo sindico e depois levados para apreciação do conselho e da assembleia.


Desafios enfrentados


Devem ser evitados certos transtornos com os vizinhos, como por exemplo; música alta, conversas em tom alto, latidos de cachorros e brigas caseiras depois do horário estabelecido pelo regimento interno do condomínio, sob pena de advertência e até multas.

Fique atento a lei do silêncio em condomínios e respeite a privacidade do seu vizinho.


Caso algum vizinho não tenha a mesma cordialidade que você e desrespeite algumas das regras estipuladas, você deve entrar em contato com o síndico e solicitar providências legais para a solução do problema.


Vantagens


Logicamente existem mais vantagens do que desvantagens em se morar em condomínio. Um exemplo é a área de lazer, hoje em dia tão diversificada, com academia, jardins, piscinas, playground, salão de festas, etc.


Talvez a maior vantagem de se morar em condomínio seja a segurança. Geralmente, os condomínios contam com uma portaria 24 horas, câmeras, cercas elétricas e outros sistemas de segurança que trazem mais tranquilidade aos moradores. Muito bom viajar e saber que funcionários especializados estão guardando seu patrimônio.


Para quem tem crianças é muito interessante morar em condomínio. É possível deixá-las à vontade para brincar e interagir com outros pequenos com a devida segurança.


Os adultos e seus filhos podem dividir momentos divertidos, seja na piscina, no salão de festas ou durante um bom churrasco, fazendo amizades duradouras e únicas.

7 visualizações
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon